Próstata

0 Comments

No macho da espécie canina a próstata é a única glândula sexual acessória. Está localizada caudalmente à bexiga sendo que ela circunda a uretra proximal no colo da bexiga e seus ductos penetram na uretra ao longo de toda a sua circunferência. Sua posição anatômica é variável de acordo com a idade do animal e ao seu possível estado patológico.

A função da próstata é produzir o líquido prostático, o qual age como um meio de transporte e suporte para os espermatozóides durante a ejaculação.
 
Com o envelhecimento a próstata torna-se pesada devido à diminuição da produção hormonal masculina. Este aumento do peso da glândula está associado com a hiperplasia prostática benigna, alteração esta estatisticamente freqüente em cerca de 80% dos cães machos com mais de 6 anos de idade.
As moléstias prostáticas são comuns no macho canino idoso e devido à natureza glandular podem se desenvolver cistos líquidos em associação com a hiperplasia benigna.
 
A próstata é sujeita à infecção por bactérias ascendentes provenientes da uretra, tanto referente à via urinária, rins e bexiga, como também à via reprodutiva, testículos. Estas infecções podem ser agudas ou crônicas, as quais freqüentemente podem levar à abscedação (foco de supuração na glândula)
.
É sabido que a diminuição da função secretória da próstata em machos mais velhos aumenta a suscetibilidade a infecções e propicia também a transformações neoplásicas. O adenocarcinoma é um dos tipos de neoplasias mais comumente observado.
Os sintomas clínicos das patologias prostáticas variam com o tipo e gravidade da afecção, entretanto somente a prostatite aguda apresenta ao proprietário sintomas clínicos anormais.Por outro lado, as outras patologias prostáticas quando presentes passam inicialmente despercebidas por não evidenciarem sintomas clínicos.
Um dos sintomas mais comuns observados no cão que apresenta patologia prostática está no esforço para urinar, micção dolorosa, a qual ocorre como conseqüência da obstrução uretral. Esta obstrução uretral quando comparada ao ser humano é proporcionalmente menor e também menos dolorosa, pois existe menos tecido prostático recobrindo a uretra no animal do que no homem.
.
A incontinência urinária, isto é, o animal libera urina sem perceber, também pode aparecer devido lesões em músculos e esfíncteres relacionados com a bexiga em alguns casos de prostatite.
Os sintomas sistêmicos da patologia da próstata incluem febre, depressão, dor na porção caudal do abdômen, andar rígido com os membros posteriores. Quando sua origem tiver relação com câncer também poderemos ter problemas com metástases particularmente em corpos vertebrais.
As alterações hepáticas também podem estar envolvidas quando a prostatite for bacteriana devido abscedação ou supuração.
 
Em termos técnicos, podemos classificar as patologias prostáticas em: hiperplasia benigna, metaplasia escamosa, cistos paraprostáticos, prostatite bacteriana aguda ou crônica, abscedação prostática e neoplasia prostática (adenocarcinoma, carcinoma de células de transição e neoplasia metastáticas).
As formas de tratamento variam de acordo com cada caso, porém se dá ênfase a precocidade do diagnóstico para que possamos obter resultados melhores em cada tratamento.
 
 
Quando houver suspeita de uma prostatite num cão idoso, cabe ao clínico veterinário procurar chegar a um rápido diagnóstico, quer através da radiografia ou do ultra-som, exames estes que não provocam tanto desconforto aos animais por não serem invasivos, para que se tenha um prognóstico o mais breve possível e os devidos procedimentos sejam tomados.

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese