O poder da recompensa

0 Comments

Entender o comportamento do cão e aprender a direcionar seus instintos para ações positivas são passos importantes para a construção de uma relação saudável com o pet. Nem sempre é fácil, exige muita paciência e disciplina do dono. Mas, os resultados são recompensadores.

Nick é um Golden Retriever de um ano que, segundo a dona, a estudante de veterinária Cecília Souza, “é um crianção”. Por onde passa é acompanhado por um rastro de destruição, que inclui objetos mordidos e quebrados. Nick não faz por mal, ao contrário, quer brincar. “Ele sempre foi muito agitado e desastrado. Passava pela casa como um furacão, derrubando tudo. E tudo que caia no chão ou ele conseguia alcançar era dele”, conta Cecília, que o adotou quando ele tinha seis meses, após a antiga família não conseguir mais mantê-lo em um apartamento, por conta de toda a energia que ele esbanjava.

Frequentemente, o desejo de adquirir um animal de estimação se sobrepõe à importância da pesquisa sobre as características e o temperamento da raça. A escolha de um cãozinho hiperativo, como o Nick, por exemplo, pode ser conflitante para uma família que busca um animal mais tranquilo. Respeitar as características natas de cada raça é fundamental para um bom relacionamento com o pet, além de auxiliar no adestramento.

“A chave para a questão está na canalização de instintos. O que devemos fazer é mostrar para o cão o momento e a maneira correta para fazer uso deles. Caso não tenha essa possibilidade, o cachorro certamente vai canalizar os instintos em comportamentos não adequados”, esclarece Leonardo Ogata, especialista em comportamento animal da Tudo de Cão e adestrador há oito anos.

E foi o que Cecília tentou fazer com Nick. Mesmo alertada sobre o comportamento agitado do Golden Retriever, ela resolveu aceitar o desafio. “Eu sempre fui a favor do adestramento com reforço positivo, sem punições físicas. É mais trabalhoso, mas muito mais compensador.Você precisa saber o que está fazendo ou não terá resultados positivos e vai se frustrar com o método”, explica.

No início, a estudante conta que ficou um pouco perdida diante dos comportamentos de Nick, mas com o tempo conseguiu criar seus próprios métodos para lidar com cada caso. “Tive que tirar os objetos do alcance dele e mantê-lo distraído com brinquedos próprios. Um cão destrutivo normalmente é um cão que está entediado. Para resolver o problema, precisei manter uma rotina. Muito exercício, passeios na rua, distrações, brinquedos e gastar a energia”.

Para que o adestramento possa ser eficaz, não basta apenas que o cão seja treinado, mas que os donos também participem e aprendam a lidar com o animal e a preservar os ensinamentos. ”Assim como as pessoas, os cães devem ser educados do dia que nascem ao dia que morrem. A melhor maneira de fazer isso é, sem dúvida, através da educação do dono. Da mesma maneira que os pais estudam e aprendem a educar os filhos, os donos deveriam fazer o mesmo ao adquirir um cão”, aconselha o adestrador Ogata.

O desafio de ensinar Nick continua, mas Cecília conseguiu tirar uma boa lição da experiência. “É engraçado ver o quanto ele me ensinou. Graças a ele ser incrivelmente mal comportado, pude lidar com todos os hábitos ruins e aprender as técnicas para resolver os problemas”, diz.

Ogata acredita que o adestramento não deve ser usado apenas para resolver problemas. “Devemos encará-lo como uma forma de permitir que o cão viva em harmonia com a sociedade, promovendo uma socialização adequada, ensinado-o a conviver com outros cães, pessoas e ambientes diferentes”.

DICAS E TRUQES

Sentar
Ensinar alguns comandos para o cãozinho pode ser bastante divertido, mas lembrese que é necessário ter paciência e respeitar o tempo de cada cachorro. Mostre ao cão um petisco ou objeto que ele goste bastante, e o posicione acima da cabeça dele. Mantenha a sua mão na mesma posição, acompanhando o animal caso ele caminhe para traz ou se afaste. O objetivo é induzi-lo a sentar. Assim que ele se sentar, o recompense.

Repita a ação, mas sem dizer o comando ‘senta’, que deverá ser usado apenas quando o cão passar a fazer a associação rápida da ação. Quando perceber que o cachorro já compreende o gesto, utilize o comando ‘senta’, antes de erguer a recompensa.

Fonte: UniversoPet

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese