Exame do animal

0 Comments

Geralmente o que se vê de imediato é o sintoma e/ou a lesão presente. No entanto, sempre é conveniente um breve exame do animal como um todo para observar outros sintomas e/ou lesões importantes, além daquelas evidentes.

Com uma observação mais cuidadosa, rapidamente se poderá determinar se há hemorragia, vômitos, diarreia, perturbação na respiração, batimentos cardíacos fracos, perda dos sentidos, estado de choque.

Obviamente deve se dar uma prioridade de atenção aos sintomas mais graves, em vez de se buscar outras lesões de menor gravidade. 

Primeiramente observe qualquer mudança de comportamento, isto é,  se o animal é normalmente assustado e agora quer ficar do seu lado, pode ser que não esteja se sentindo bem.

Fique também atento a sons incomuns emitidos pelo animal e mudanças nas atividades de rotina. Sons anormais ou mudanças de rotina brusca geralmente têm alguma causa que deva ser avaliada. 

Examine a pelagem e os pelos do animal, veja se está uniforme, se apresenta regiões com falhas, prurido, lesões, aumentos de volume, odor, etc.

Observe a posição do corpo, examine os membros. Se um membro apresentar muita dor e posição anormal, provavelmente há fratura ou luxação. Se a fratura for de coluna, o caso é bastante sério, podendo haver perda de movimentos dos membros posteriores ou mesmo dos membros anteriores.

Examine o pescoço, a cabeça, se há ferimentos, saliências, depressões, hemorragia. Observe os olhos, a boca, se há dentes quebrados, coloração das gengivas, o hálito do animal, presença de queimaduras provocadas por algum produto cáustico, corpos estranhos que possam prejudicar a respiração de um animal semi-consciente, os quais devem ser retirados imediatamente, se visualizados.

Se o animal não perdeu os sentidos e estiver com muita dor, cuidado ao tocá-lo. Mesmo que seja bastante manso, se a sensibilidade for grande, animal pode se tornar perigoso. Sempre é bom salientar que nestes casos de animais assustados ou sentindo dores, convém limitar seus movimentos, aproximando-se com calma e tranqüilizando-os com palavras de carinho, para se evitar maiores acidentes.

A primeira providência, em caso de cães, é amordaçá-los com uma tira de tecido macio, barbante ou algo semelhante. No caso de um gato assustado, o mesmo pode ser contido com auxílio de uma toalha, deixando uma pequena abertura para respirar e evitando que ele arranhe, enrolando-o completamente.

Observe o tórax, poucas vezes se vêem deformações do tórax por afundamento das costelas, mas com freqüência, se houver fraturas das mesmas num caso de atropelamento, por exemplo, produzirão muita dor até quando o animal respirar. 

No abdômen um dos pontos mais importantes de ser observado é se há ou não rigidez dos músculos da parede abdominal. Se houver, poderemos estar diante de um caso grave de ruptura de alguma víscera oca. Neste caso somente uma cirurgia urgente poderá salvar o animal.

Examine a cauda, o ânus, os órgãos genitais de seu animal quando ele estiver saudável para reconhecer odores normais e a anatomia das regiões. Qualquer aumento de sensibilidade, variação na cor ou alteração nos odores pode ser alguma anomalia e é importante de ser avaliado.

É preciso agir com rapidez, mas sem precipitação e ao atuar com calma e segurança poderemos com estas observações anteriores, as quais podem ser feitas em poucos minutos, ajudar o animal até que um veterinário possa dar continuidade ao que foi iniciado.

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese