Dicas para viagens de carro com cachorro

0 Comments

Ter um cachorro em casa significa muito mais do que se preocupar em alimentá-lo direito, cuidar do local em que ele fica para que se mantenha limpo, dar banho, levar ao veterinário e escovar os pelos.

Ao trazer um cachorro para nossa casa e nossas vidas, estamos assumindo a responsabilidade de cuidar de uma vida e dar a esse ser tudo que ele precisa, inclusive carinho e atenção.

Assim, o cachorro torna-se parte da família e queremos levá-lo para todos os lados, até mesmo em viagens, das mais curtas às mais longas.

Se você possui um animalzinho em casa e está pensando em viajar com ele, veja nossas dicas para viajar de carro com seu cachorro sem maiores transtornos tanto para você quanto pra ele:

Tamanho do cachorro

Embora a paixão por nossos cachorros seja imensa, precisamos compreender que nem sempre é possível levá-los conosco para as viagens. Se você possui um exemplar de raças maiores, como Labrador São Bernardo, e um carro pequeno, ocupado por quatro ou cinco passageiros, as chances de levar o cachorro junto são bem pequenas. Além disso, é preciso saber se haverá lugar para o cachorro ficar no destino da viagem. Em casa de parentes pode haver um cantinho em que ele possa ficar, mas em hotéis a possibilidade de hospedagem para cachorros de grande porte é quase remota.

Assim, se não for possível levá-lo, há duas possibilidades: deixar em casa com alguém que sempre veja se ele precisa de algo ou na casa de uma pessoa de confiança, ou então deixá-lo em um hotel para cachorros, que existem na maioria das cidades e prestam um ótimo serviço em termos de cuidados com o animal.

Segurança

Se você tem um cachorro de pequeno ou médio porte, ou conseguirá levar seu cão com conforto, mesmo ele sendo maior, é hora do próximo passo: cuidar da segurança, tanto do cachorro quanto de quem estará no carro com ele.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, conduzir animais nas partes externas do veículo (caçambas ou parte do corpo para fora da janela) é infração grave e está sujeita a mula (art. 235). É infração média e passível de multa, ainda, o motorista dirigir com o animal à sua esquerda ou entre braços e pernas. (art. 252).

Portanto, para cumprir a lei e evitar que o cachorro movimente-se demais pelo carro e atrapalhe o motorista, o mais aconselhável é mantê-lo preso a uma coleira ou dentro de uma caixa de transporte. Esse cuidado previne ainda que o cão seja arremessado do carro ou contra outras pessoas no veículo, em caso de acidente.

Outra dica, principalmente para quem possui carros com air-bag, é levá-lo sempre no banco de trás. Em caso de acidente, o estouro do air-bag pode até mesmo levar o cão à morte. Aqui vale o ditado de que a prevenção é o melhor remédio.

Identificação

A primeira dica serve não apenas para quem vai viajar: nunca, nunca, nunca deixe seu cachorro sair de casa sem identificação. Se ele se perder, é o meio mais fácil para que você consiga que o devolvam para sua família. Eu uso sempre medalhinhas com o nome do cachorro e nossos telefones (de casa e celular), mas caso você não consiga fazer uma plaquinha ou a perca durante um passeio, prenda na coleira com fita crepe, ou qualquer coisa assim. O importante é não deixar jamais seu cão sem identificação, muito menos em uma cidade estranha.

Comece com trajetos curtos

Se você tem um filhote ou nunca viajou de carro com seu cachorro, comece com pequenas distâncias, como passeios na sua própria cidade, por exemplo, para ver como ele se sente e para que ele se acostume a ficar no carro.

Saúde

Antes de pegar a estrada, verifique se as vacinasantipulgas e desvermifugação do seu cachorro estão em dia. É importante para a saúde dele e também para a de todos os que irão conviver com seu cão.

Aproveite a ida ao veterinário e pergunte sobre um kit de emergência. Você pode pedir ao veterinário para receitar um medicamento para enjôo, por exemplo, caso não saiba ainda se seu cão se sentirá mal no carro. Não arrisque medicar seu cachorro por conta própria, somente um veterinário saberá a dosagem correta! Pergunte sobre medicamentos emergenciais para alergias e para cortes, e leve numa pequena necessárie junto com os medicamentos que ele costuma usar.

* Se seu cachorro tem algum problema de saúde já conhecido, ou você quiser estar ainda mais seguro, procure antes de viajar uma clínica veterinária de referência no seu destino.

Limpeza

Sempre tenha um saquinho à disposição para catar o cocô do seu cachorro. Nunca deixe a sujeira dele no chão! Também é útil ter lenços umedecidos e lenços de papel no carro caso ele vomite, ou para limpá-lo caso ele encoste em alguma planta que o irrite ou se suje demais na lama.

Uma dica de quem já viaja há alguns anos com cachorro: coloque uma capa própria no banco traseiro. A capa facilita caso eles vomitem, pois é só tirar e lavar a capa, em vez de ficar limpando cada reentrância dos bancos.

A mala do cachorro

Tem medo do seu cachorro estranhar o hotel? Garanta que ele vai se sentir em casa levando a caminha, cobertor, brinquedos e, principalmente, a comida que ele está acostumado a comer em casa. Além destes itens, não esqueça dos potes para ele comer e beber água e um kit higiene. Dica: leve sempre toalhas e shampoo – jamais use as tolhas e roupa de cama do hotel! Quando ir para lugares frios, leve também  roupinhas para eles.

Caixas de transporte

Citadas anteriormente, as caixas de transporte são uma proteção para o cachorro, além de evitar que ele movimente-se por todos os lados, e são encontradas facilmente em qualquer pet shop.

Ao transportá-lo nesta caixa, certifique-se de que ela possui tamanho suficiente para que o cão consiga ficar em pé e se virar, para manter sua mobilidade. No carro, você pode prendê-la com o cinto de segurança.

Se preferir, você pode também comprar um cinto de segurança para cães, que os mantém presos, mas com um pequeno espaço de movimentação, uma medida menos “sufocante”.

Os cintos de segurança para cães são mais confortáveis e são encontrados em lojas especializadas para cachorros

Temperatura do carro

O ser humano é capaz de aguentar temperaturas mais extremas, ou reclamar quando o frio ou o calor se tornam insuportáveis, mas os cachorros ficam apenas com a opção de latir e esperar que o dono compreenda seu sinal.

Para que ele não sofra calor em excesso, que pode trazer sérias consequências à saúde, você deve manter sempre o vidro aberto ou o ar condicionado ligado. Além disso, jamais o deixe sozinho no veículo, para que não corra o risco de sofrer com o superaquecimento do carro.

Água e alimentação

Você deve levar água suficiente para que o cão possa se refrescar ao longo da viagem. Se for preciso parar o carro para que ele mate a sede, programe paradas de acordo com o tempo de viagem.

O ideal é que você pare a cada duas ou três horas, dê água e passeie um pouco com o animal, para que ele mantenha-se calmo ao longo de toda a viagem; ficar preso no carro pode deixá-lo estressado e agitado, então nada melhor do que parar, dar uma respirada no ar fresco e voltar para o carro.

Ao contrário da água, evite dar comida durante a viagem. O recomendado, na verdade, é que ele coma algumas horas antes de viajar e uma hora depois que vocês chegarem ao destino.

Mantenha seu cachorro sempre hidratado ao longo da viagem

Paradas

Ao parar para que o cachorro exercite-se e faça suas necessidades, procure por postos com área verde ou ao menos com um gramado, para que o passeio o acalme e relaxe.

Se ele precisar evacuar, esteja com uma sacolinha para recolher e jogar no lixo. Nada de deixar dejetos de animais pelo caminho.

Além disso, se precisar parar para que você e sua família alimentem-se, preste atenção para os estabelecimentos. Como dificilmente você poderá entrar no local fechado com o cachorro, prefira restaurantes e lanchonetes com mesas externas, assim vocês e seu cão poderão ficar mais à vontade.

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese