Coprofagia: saiba por que os cães comem as próprias fezes

0 Comments

Esse comportamento não foi 100% desvendado pelos especialistas, mas as teorias apontam que a coprofagia está ligada ao instinto de preservação, reprodução do comportamento da mãe, distúrbios psicológicos deficiências nutricionais ou até mesmo por conter traços de componentes químicos (como aromatizantes) contido nas rações.

As razões podem estar relacionadas a problemas de comportamento, desnutrição, doenças e até fome. Descobrir o porquê de o cãozinho assumir essa postura é o primeiro passo para eliminar o comportamento.

As possíveis razões da coprofagia

A coprofagia pode ser desencadeada por uma série de fatores e, em algumas etapas da vida, pode ser um comportamento natural e já esperado. Cadelas costumam ingerir as fezes de seus filhotes para mantê-los limpinhos. Alguns filhotes passam a reproduzir o comportamento da mãe e também comem suas fezes e as de seus irmãozinhos. Conforme vão crescendo, esse comportamento simplesmente desaparece. Alguns filhotes podem demorar mais tempo para abandonar a coprofagia, mas eventualmente vão parar de consumir fezes.

A coprofagia passa a ser problemática quando, mesmo crescido, o cão continua comendo fezes ou quando um cão adulto, que nunca demonstrou esse tipo de hábito, passa a ingeri-las, sejam as próprias ou as de outro animal. Nesse caso, esse comportamento deve ser investigado.

As possíveis causas podem estar ligadas ao instinto de preservação, a fatores psicológicos como ansiedade, medo, estresse e acreditar que defecar é algo passível de punição. Também pode estar relacionado a problemas de saúde, desde o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade até problemas nutricionais e disfunções metabólicas.

A punição e as broncas excessivas por parte do dono podem gerar o hábito de comer fezes

É comum que cães filhotes se aliviem no lugar errado, afinal, ainda estão aprendendo. Muitas vezes, seus donos não os levam para passear com a frequência necessária e filhotinhos não conseguem segurar a vontade de defecar até que seja a hora de passear.

Se o dono repreende o cãozinho de uma maneira muito agressiva quando vê fezes no lugar errado, esse filhotinho pode passar a ingeri-las em uma tentativa de escondê-las ou removê-las. O comportamento segue até que o cão adulto continue a comer as fezes, inclusive as que fez no local correto. Isso acontece porque o cão associa as fezes a algo condenável e tenta esconder as provas do crime para evitar uma bronca.

Comer as fezes de um cão doente serve como proteção à matilha

Alguns cães podem comer as fezes de um animal doente. Isso acontece por causa do instinto de preservação que remonta aos lobos. As fezes de um cão doente têm um odor característico, que deixa clara a fragilidade do animal. Esse cheiro poderia ser sentido por outros animais que não pertencem à matilha, demonstrando uma vulnerabilidade que os deixaria suscetíveis a um ataque.

Os cães saudáveis ingerem essas fezes para que seu odor não seja sentido por possíveis intrusos. A coprofagia, nesse caso, visa a proteção da família. Esse comportamento também tem como objetivo proteger o cão doente, para que ele não fique em contato com as fezes nem seja um alvo claro para os demais cães.

Fome pode ser uma razão simples para a coprofagia

Um cão que sofre com a fome, seja por maus tratos ou porque foi forçado a entrar em uma dieta, comerá qualquer coisa que possa encontrar. Infelizmente, não é incomum encontrar cães largados à própria sorte: donos irresponsáveis que ignoram as leis e seus pets, deixando-os presos, sem abrigo e comida. Esses cães são forçados a comer o que estiver disponível, e isso inclui fezes, as próprias e as de outros animais. Esses maus tratos são crimes e devem ser denunciados.

No entanto, cães saudáveis também sentem fome. Um cão obeso que entra em uma dieta na qual a quantidade de comida é drasticamente reduzida sentirá muita fome. Esse cãozinho é um candidato à coprofagia.

A absorção incorreta de nutrientes pode causar a coprofagia

Um cãozinho pode ser alimentado com ração da melhor qualidade e ainda assim não absorver os nutrientes necessários. Em busca das vitaminas e dos minerais que lhe fazem falta, esse animalzinho pode ingerir fezes. Essa deficiência pode não estar ligada à qualidade da alimentação, mas sim à quantidade e à forma como ela lhe é oferecida. Se a quantidade for pequena, pode haver um quadro de desnutrição. Se for em excesso, os nutrientes podem não ser absorvidos corretamente e passar intactos pelo sistema digestivo.

Alimentar o peludo apenas uma vez ao dia pode fazer com que o cão coma muito rápido e sua digestão seja prejudicada, impossibilitando a absorção de vitaminas e minerais.  

Problemas de saúde podem levar à coprofagia

Certas doenças podem levar um cão a comer fezes. O aumento do apetite pode ser um sinal clínico que leva o cãozinho a cometer a coprofagia. Alguns medicamentos, como antibióticos, podem alterar a cor, o cheiro e a aparência das fezes, deixando o cachorro interessado nos próprios dejetos. Outras doenças, como deficiências metabólicas e alergias também fazem com que o cão tenha dificuldade na absorção dos nutrientes, o que também pode levar à coprofagia. O aparecimento súbito de coprofagia é motivo para um exame clínico veterinário para investigar se seu cão tem algum problema de saúde. As doenças mais comuns ligadas à coprofagia são as verminoses, pancreatites e problemas na produção de enzimas digestivas.

Ansiedade, medo e estresse podem levar um cão a comer fezes

Alguns cães que passam por situações traumáticas, sofrem de ansiedade, ficam reclusos e sozinhos por muito tempo, podem desenvolver uma série de problemas comportamentais, entre eles, a coprofagia. A razão disso ainda não está clara, há quem diga que é para chamar atenção ou que comer as próprias fezes funciona como uma válvula de escape, que provoca conforto.

O medo de ser punido também pode levar um cão a comer as próprias fezes. Cães ansiosos podem ingeri-las até quando estão ansiosos por felicidade, quando estão fazendo festinha ou muito agitados, pulando para cima e para baixo.

Os perigos de ingerir fezes e como evitar a coprofagia

Se um cão come as próprias fezes, o risco para ele próprio não é tão grande quanto se ele consumisse as fezes de outro animal. No entanto, as bactérias e os parasitos das fezes podem ser transmitidos aos seres humanos e a outros animais, o que representa um grande perigo para sua família.

Quando um cão come as fezes de outro animal, sejam as de outro cão ou mesmo de um gato, ele corre o risco de ingerir ovos de parasitos intestinais e bactérias que podem levar a doenças graves. Diarreia é o sinal mais comum, porém podem ocorrer bronquites, encefalites e muitas outras doenças que podem ser fatais e são causadas por bactérias, vermes e parasitos existentes em fezes.

Como evitar a coprofagia

Para combater a coprofagia, é preciso descartar possíveis doenças e problemas de saúde. Para tanto, conte ao seu médico veterinário o que está acontecendo e este fará exames completos que investiguem profundamente todos os aspectos da saúde do cão que poderiam levá-lo a comer fezes. Se houver alguma doença, converse com o profissional e trate-a. Quando seu pet estiver curado, a coprofagia deve parar.

Se o animal não tiver nenhuma doença ou quadro clínico que justifique a ingestão de fezes, avalie sua alimentação. Verifique se a quantidade de alimento é a correta e procure dividir a porção diária de comida em pelo menos duas refeições. Sempre mantenha limpo o local em que seu cãozinho costuma ficar, não deixe a sujeira acumular para que você faça uma faxina. Se você viu fezes ou xixi, limpe. Essa é sua função, não do seu animal.

Leve-o para passear frequentemente e deixe que ele faça suas necessidades com calma, quando defecar no local correto, elogie e faça carinho, mostre para ele que isso é o certo e é permitido. Caso seu cãozinho já tenha adquirido esse hábito, você deve desviar a atenção dele assim que ele defecar. Para os cães que tentam comer as próprias fezes durante ou imediatamente após a defecação, você deve estar alerta. Mantenha o seu cão na coleira enquanto ele alivia.

É natural que ele fique um pouco obcecado com as fezes, logo, sua atenção irá imediatamente para elas. Seu papel é desviar essa atenção com algo mais interessante: brinque, chame-o, jogue uma bola ou dê um petisco. Limpe as fezes e jogue-as fora. Quando ele retomar a atenção para as fezes, elas já não estarão lá e ele gradualmente vai perder o interesse.

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese