Assine nossa Newsletter


Quem tem bichinhos de estimação em casa sabe, é impossível não conversar com os nossos animais. Mesmo sabendo que eles não vão responder com palavras, ou que nós mesmos falemos uma resposta por eles, uma conversa entre tutor e pet sempre acontece.

Os animais são grandes ouvintes e, apesar de não poderem responder com palavras, muitas vezes as respostas dos animais podem vir em forma de um olhar ou até de ações.

Pessoas que não convivem com animais, podem achar loucura, besteira ou até mesmo idiotice um tutor conversar com seu bichinho, mas eles estão bastante enganados.

De acordo com um novo estudo, falar com seus animais de estimação é um sinal de inteligência.

Segundo informações do site AOL.com, Nicholas Epley, professor de Ciências Comportamentais da Universidade de Chicago, participou do estudo e descobriu que conversar com animais de estimação é uma forma dos seres humanos de tentar fazer o seu animal de estimação mais como nós.

Esse desejo de atribuir características humanas aos animais, conhecido também como antropomorfismo, é o nosso modo de usar os limites de nossa inteligência que nos separam de outras criaturas.

Conversar com os pets também é uma forma dos seres humanos de tentar fazer o animal de estimação mais como nós.

“Historicamente, a antropomorfização tem sido tratada como um sinal de infantilidade ou estupidez, mas na verdade é um subproduto natural da tendência que torna os seres humanos inteligentes neste planeta. Nenhuma outra espécie tem essa tendência”, explica Nicholas Epley.

Esse comportamento também pode ir ainda mais longe. Você às vezes acha que seu computador está sendo teimoso ou que seu carro está querendo deixá-lo irritado? Exemplos como esses, de atribuir qualidades humanas a não-humanos, revelam nossa inteligência única, de acordo com o professor Epley.

“Isto é apenas o subproduto de ter uma cognição social ativa e inteligente – de ter um cérebro que é programado para ver e perceber mentes”, completou o cientista.

Ainda segundo o estudo, conversar com os animais também ajuda a exercitar o cérebro. (Foto: Reprodução / Shared.com)

Infelizmente, o estudo também descobriu que ao ficarem mais velhas, as pessoas vão conversando menos com seus animais, com medo do que outros vão pensar e de acharem que eles estão “caducando”.

Agora, ninguém precisa mais ter vergonha de falar com seu animal de estimação. Lembre-se que ao fazer isso, além de ter uma conversa gostosa com seu melhor amigo, você estará exercitando o seu cérebro.

Deixe uma resposta