Como Prevenir Doenças Infecciosas em Gatos

0 Comments

O gato é um animal de companhia e estimação assim como o cão, mas possui particularidades de comportamento e temperamento. É muito mais independente e com o dono estabelece uma relação de companheirismo e não de servidão. Estas são as principais diferenças entre um cão e um gato.

As diferenças entre estas espécies (felina e canina) se mostram também nas doenças que ambas manifestam, principalmente no que diz respeito às doenças infecciosas. As doenças infecciosas dos gatos têm manifestações diferentes das que vemos nos cães, pois são provocadas por agentes diferentes. Muitas delas podem ser perfeitamente prevenidas pela vacinação adequada.

 

 

Costuma-se dizer que vacinar é um ato de amor, o qual além de ser seguro é muito mais barato do que um tratamento. Sempre orientamos que devemos  fazer da vacinação uma aliada, para garantir a saúde dos animais de estimação.

As doenças infecciosas que podem ser prevenidas pela vacinação adequada são: araiva, a panleucopenia felina,  a rinotraqueíte felina, a calicivirose,  a clamidiose e a leucemia felina. Dentre estas, a raiva e a clamidiose podem ser transmitidas ao homem. Veja mais em nosso site Zoonoses.

 
As doenças denominadas de peritonite infecciosa felina e síndrome da imunodeficiência felina (conhecida como AIDS felina) são doenças infecciosas em felinos que ainda não existem vacinas disponíveis no mercado, embora haja muito estudo a respeito. Elas são transmitidas entre os felinos por meio de mordidas e contato com fezes e urina de gatos infectados.

A castração é a melhor forma de se reduzir o contato de um gato saudável e bem cuidado com outros gatos que não têm a mesma sorte, pois desta forma minimizamos a possibilidade de contágio. A castração é a retirada dos órgãos reprodutivos, dos ovários e do útero nas fêmeas e dos testículos no macho. O animal castrado fica mais caseiro, reduzindo suas saídas para a rua, diminui ou praicamente some a marcação de território com urina dentro de casa e as brigas ficam muito menos freqüentes. A castração não prejudica a saúde do seu animal. Os machos não ficam efeminados, perdem somente o interesse de “namorar”, poupando almofadas e pernas das visitas. As fêmeas podem até castradas antes mesmo do primeiro cio. Elas não precisam ser “mães” para serem mais saudáveis. A castração realizada na fêmea jovem previne inclusive os tumores de mama freqüente em gatas idosas. Veja mais em nosso site: Castração de Gatos Machos e Fêmeas.

Todos estes procedimentos, isto é as vacinaçôes e a castração são realizados pelo médico veterinário. As vacinas encontradas na Policlínica Veterinária de Cotia são de excelente qualidade e provém de laboratórios idôneos.

Atualmente as vacinas disponíveis no mercado para os felinos são as seguintes:

– Vacina Anti-rábica, protege contra a raiva;
– Vacina Tríplice felina, protege contra a panleucopenia, rinotraquíte e calicivirose;
– Vacina Quádrupla felina, protege contra as mesmas doenças da vacina tríplice felina, acrescentando a clamidiose;
 – Vacina Quíntupla felina, é a vacina mais completa, a qual protege contra as mesmas doenças da vacina quádrupla felina, acrescentando a leucemia felina.

Os animais que irão ser castrados devem sempre estar perfeitamente saudáveis e devidamente imunizados (isto é, vacinados) para se reduzir o risco de complicações pós-operatórias.

É fundamental que um exame clínico seja realizado para que se verifique a saúde do seu gato antes de qualquer outra providência. A partir daí vermifugá-lo, regularizar as vacinas, enfim  tomar as devidas providências pré-operatórias necessárias, para posteriormente se marcar o dia da intervenção cirúrgica, isto é da castração. Algumas campanhas de castração têm problemas porque não levam em consideração estes cuidados iniciais.

 

 

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese