Sobre as broncas

Dar broncas e punir os cães fazem parte da nossa cultura. Mas, essas broncas trazem grande prejuízo ao aprendizado.

É comum, quando atendemos um cliente que tem esse tipo de problema, ele nos dizer: “Ele sabe que fez coisa errada porque quando chego, ele já se esconde e faz cara de culpado”. Então perguntamos: “Mas se ele sabe, por que ele sempre erra? Para te deixar zangado?”

Do nosso ponto de vista, não faz o menor sentido. Então, por que os cães fazem aquelas caras?

Quando os donos punem os cães por terem feito xixi ou cocô fora do lugar, na maioria das vezes o cão associa que não deve fazer xixi ou cocô na frente do dono ou que a combinação xixi ou cocô + cão + dono não combina e vai sobrar pra ele. Essas associações certamente não ajudam em nada na educação. O cãozinho pode começar a fazer tudo escondido, atras do sofá, embaixo dos móveis e isso dificulta bastante o processo.

Portanto, nossa primeira lição:

NUNCA dê bronca em seu cão por ele ter feito em local errado!

Em primeiro lugar, não permitindo que o cão erre! Como assim? Bem, se você sabe que existe uma grande possibilidade de ele fazer xixi no tapete da sala, o cão não pode ter acesso à esse tapete antes de ter se esvaziado no banheirinho dele.

Recomendamos que, quando o filhote está com você solto pela casa, você leve ele até o banheirinho em períodos fixos de intervalo. Em filhotes recém chegados, por exemplo, o tempo ideal é de hora em hora. Para filhotes mais velhos, este tempo pode se estender, mas é importante que ele seja levado sistematicamente, caminhando no chão até o local (para aprender o caminho de diferentes pontos da casa) e sendo acompanhado por alguém. Filhotes raramente gostam de ficar longe das pessoas e é muito difícil pra ele sair de perto de você e ir ao banheirinho sozinho.

Outro ponto importante, é recompensar muito quando o cão acerta, com elogios e petiscos. Simples, não?

Aplicando a Metodologia

  • Por não colocarmos fraldas em cães, escolhemos e preparamos um lugar que seja seguro para o cão, sem fios aparentes ou objetos que possam cair e machucá-lo. Neste local o cão vai poder ficar sem ser supervisionado (exemplo: área de serviço, quintal, etc);
  • Forramos esse lugar com jornal ou tapete higiênico para que o cão não erre. Na maioria das vezes forrar um pequeno pedaço já é suficiente;
  • Quando o cãozinho estiver fora desta área, ele deverá ser supervisionado e levado regularmente ao lugar certo. Se fizer xixi ou cocô lá, recompense e elogie bastante. Se não fizer, tente mais tarde;
  • Caso o cão comece a fazer fora do lugar, pegue ele gentilmente e leve até o lugar certo. Espere que ele termine e recompense. Quando isso acontecer, o culpado é o dono que não levou o cão ao banheirinho. Portanto, nada de broncas!
  • Gradualmente dê mais liberdade ao cão de forma que ele continue sem errar, mas possa ficar em um espaço maior.
  • Se errar, limpe!

Aplicando de forma consistente esta metodologia simples, na maioria dos casos, os cães podem circular livremente pela casa, de forma confiável, à partir dos 6 meses de idade. Bem menos que nossos 2 anos, né? ?

É evidente que cada cão é um indivíduo e encontramos cães que levam mais de um ano e outros que aos 3 meses já podem ficar soltos.

Mas mais importante que o tempo levado no processo, é o respeito. Cada cachorro tem o seu tempo e histórico e ambos devem ser respeitados.

Fonte: https://www.tudodecao.com.br/