Castração e sua importância

0 Comments

A castração é o que há de mais importante em termos de proteção animal, mas, infelizmente, é cercada de mitos e desinformação. Alguns donos consideram que o procedimento elimina a liberdade de “namorar” do mascote, além de fazê-lo engordar e não proteger mais a casa. Todos esses mitos contribuem para a superpopulação de cães e gatos abandonados.

Segundo a jornalista Lucille Veschi, que também é professora universitária e membro da ONG AjudAnimal, os números apontam que um único casal de gatos, por exemplo, pode produzir mais de um milhão de descendentes em oito anos, considerando, também, os cruzamentos dos descendentes do casal inicial. Para ela, a única saída é a castração que, para surtir efeito, deve ser encarada de forma séria pelo poder público.

 

Por que a castração é recomendável? O que deve ser avaliado?

No caso dos animais em risco, a castração é, simplesmente, a única saída viável para amenizar o imenso problema do abandono de animais. Os pobres animais que estão ou já nascem em situação de abandono, infelizmente, sofrem horrivelmente com fome, sede, frio, doenças e maus-tratos de pessoas absolutamente inomináveis.

Existem programas de castração oferecidos pelos Centros de Controle de Zoonoses, e também executamos esta operação na Policlínica Veterinária de Cotia. A ideia correta seria fazer um mapeamento sazonal, começando pelas áreas de maior incidência de animais abandonados, que devem ser castrados em massa, passando à região seguinte, e assim

Por que os donos têm tantas restrições com a castração?

Sobre o procedimento da castração em si, as pessoas não são devidamente informadas e educadas a respeito, por conta dos mitos e ideias erradas que cercam o assunto. Uma campanha de educação em massa também deve ser considerada como muito relevante, e a mídia tem um papel importante nesse processo. Isso porque, independente da situação do animal (protegido ou em risco), a castração é um procedimento altamente recomendável, que traz inúmeros benefícios aos animais.

Então, se é benéfico, por que as pessoas evitam? Por que pensam “ah! coitadinho!”?

Não faz o menor sentido! O correto seria “se você ama seu bichinho de estimação, castre”. A castração previne doenças sérias, especialmente nas fêmeas. As pessoas normalmente “humanizam” o sentimento animal, não percebendo que a relação sexual, para os bichos, está ligada estritamente a questões hormonais.

Não há essa questão de que o bicho deve “namorar” antes de castrar, isso é uma tremenda besteira, pois o animal é regido por estímulos. Se não houver o estímulo hormonal, o animal não sente necessidade nenhuma de cruzar.

Após a castração, o temperamento do animal muda?

Outro mito que cerca a castração é o de que o animal engordará. Isso não é verdade: o que ocorre é que o bichinho castrado fica mais sedentário, portanto, pode engordar se a ração não for controlada. Então, na verdade, o animal só engorda se o dono o engordar com alimentação inadequada. Ou seja, quem engorda o animal é o dono, e não a castração.

Quanto à demarcação de território, o famoso “xixi” nos cantinhos, a castração pode ajudar a cessar o processo, ou pelo menos amenizá-lo. Em outros casos, a castração também colabora para “acalmar” cães e gatos mais agitados. Com tantos benefícios, não consigo entender o enorme preconceito que cerca a castração. Por isso eu digo: quem ama,castra!

 

Quando deve ser feita

A retirada do útero e dos ovários antes do primeiro cio, ou seja, até os oito meses de vida, reduz a praticamente a “zero” a incidência de câncer de mama e da piometra (infecção do útero) nas cadelas. “Na gata, o cio, a falsa gestação, a lactação e as múltiplas gestações desaparecem. No macho, a castração precoce inibe o interesse sexual”, afirma. O procedimento pode ser realizado a partir do 40º dia do nascimento.

 

Mitos

De acordo com o veterinário, a castração não deixa o animal mais gordo, como muitos donos podem imaginar. “Na verdade, ele apenas precisa de menos alimento e de mais exercícios. As fêmeas não precisam ter uma ninhada antes de serem castradas e é importante ressaltar que a cirurgia é indolor, feita sob anestesia geral”.

Processo

Machos – os testículos são extraídos
Fêmeas – retirada do útero e ovários

 

Alguns benefícios

– Reduz o risco de tumores de mama, próstata e tumores transmitidos sexualmente, assim como elimina a gravidez psicológica nas fêmeas.

– Nos gatos, há a diminuição do hábito de urinar nos objetos para demarcar território e evita que eles fiquem fora de casa por dias, sem se alimentar, para o acasalamento.

– Nos animais saudáveis, a expectativa de vida aumenta, pois há menor chance de surgirem doenças reprodutivas.

 

Fonte: UniversoPet

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese