Amizade sem limites

0 Comments

No decorrer das décadas, o animal deixou de ser visto apenas como um instrumento de trabalho ou fonte de alimento, e foi ganhando espaço na vida afetiva e social do homem. Hoje ele participa de resgates, trabalha junto à polícia no combate às drogas, assim como integra equipes terapêuticas. Como o que acontece na zooterapia que, de modo geral, significa terapia realizada com a presença de animais. Essa terapia não se restringe a uma faixa etária e pode ser utilizada no tratamento de doenças físicas e psicológicas, com resultados satisfatórios.

No caso da relação de idosos com animais, tem-se observado que eles auxiliam problemas de solidão, minimizando de forma significativa esse sentimento. Os idosos buscam alguém de quem possam cuidar e trocar afeto, e os animais agregam mais segurança. A Felicità, uma instituição de longa permanência para idosos localizada em Santo André (SP), por exemplo, conta com a cadelinha Lua em sua equipe. A vira-lata, abandonada dentro da garagem da casa da proprietária da instituição, foi prontamente adotada e sempre se mostrou dócil, carinhosa e companheira.

A ideia de levá-la para a Felicità nasceu com uma senhora residente da Felicità, que sempre relatava que gostava de cachorros e mantinha três Poodles em sua casa. Após um AVC (acidente vascular cerebral) e um período de internação hospitalar, vieram a dependência física e as dificuldades de fala. Foi então que sua família optou pela moradia na instituição e ela se separou dos cães. A proprietária da instituição percebeu que a separação havia sido dolorosa para a idosa e que agravava ainda mais o seu quadro depressivo. Diante dessa situação e com a Lua sozinha durante o dia, ela pensou na possibilidade de levar a cachorra para a Felicità.

Após consultar o Departamento de Vigilância Sanitária e tomar todos os cuidados necessários, Lua foi levada para a instituição de idosos. Mas de forma gradativa: um dia ela passava a tarde, depois o dia todo, aí passou uma noite, e foi ficando por definitivo.

A reação dos familiares foi muito boa, além das expectativas da proprietária, tendo 100% de aprovação. Os residentes também gostaram. No início houve até “briga” para ver quem faria carinho e daria comida para a Lua. A cadela é muito querida e amada, e hoje auxilia no tratamento de pacientes com vários tipos de doenças.

Fonte: Mundo dos Animais

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese