American Pit Bull Terrier

0 Comments

A raça American Pit Bull Terrier, ou simplesmente Pit Bull como é mais conhecida, tem os Estados Unidos como país de origem.

É uma raça de porte médio. Tanto o peso quanto a altura não são características muito importantes desde que o equilíbrio entre estes parâmetros proporcione ao cão um aspecto poderoso e não perca a agilidade. O peso médio de um macho varia entre 16 a 30Kg, com a altura na região da cernelha entre 45 a 55cm. Na fêmea o peso oscila entre 14 a 25Kg e altura de 40 a 50cm. Desde o início da história dos Pit Bulls, os que mais se destacavam eram os mais leves e ágeis. Nas várias tentativas que foram feitas para torná-los mais pesados houve perda de performance.

O American Pit Bull Terrier é um cão muito forte e de musculatura bastante definida, considerado o grande atleta do mundo canino. Suas principais características que não podem ser perdidas são agilidade, força, resistência e extrema determinação. Seu corpo é ligeiramente mais longo do que alto. Sua cabeça é grande, larga e de formato retangular, dando a impressão de grande poder, sem perder a elegância. Os músculos das bochechas são proeminentes, sem a presença de rugas. Porém, quando o cão está se concentrando formam-se rugas na testa. O focinho é quadrado e largo. As mandíbulas bem pronunciadas mostrando força, apresentando mordedura em torquês, com os caninos superiores encaixando-se à frente dos posteriores. As orelhas são inseridas altas, podendo ser operadas ou não (cuja cirurgia estética denomina-se conchotomia). Os olhos são de tamanho médio, redondos, afastados entre si, com todas as cores aceitáveis, exceto o azul. O pescoço é robusto, levemente arqueado. O tronco é potente, com peito profundo, garupa curta e musculosa. Os membros são grandes, de ossatura arredondada. Os ombros são oblíquos, largos e fortes; as coxas compridas com musculatura desenvolvidas. Os pés são redondos e resistentes. A cauda é relativamente curta em comparação ao corpo, portada baixa e afilando da base à extremidade, não deve ser curvada. A pelagem é curta e brilhante, sendo todas as cores aceitas, o caramelo, o chocolate, o branco, o preto, o tigrado e a combinação entre elas.

A movimentação do Pit Bull é elástica, coordenada e suave, sem demostrar esforço. Tem uma atitude segura e vivaz, oferecendo a impressão de estar sempre esperando ver algo excitante a qualquer minuto. É autoconfiante, equilibrado e demonstra grande alegria de viver.

Pelo fato de ser complexa a origem do American Pit Bull Terrier muito já se falou a respeito. O que se sabe é que a história desta raça está diretamente ligada ao combate de cães com touros e ursos. Estes Bloody Sports (esportes sangrentos), como eram conhecidos, realizavam-se em arenas e exigiam cães altamente ferozes, agressivos e pesados, os Old Bulldogs. Apesar deste esporte, se é assim que pode ser chamado, ser muito apreciado na Inglaterra no século XVIII, felizmente foi proibido pelo governo inglês em 1835.

Entretanto, a partir desta proibição, lutas clandestinas entre cães deram então início e na época foi observado que animais menores eram mais eficazes nas rinhas, por serem mais ágeis. Os Terriers foram os escolhidos para tornarem os cães mais ágeis nos fightings, por serem altamente destemidos, resistentes além de muito populares na época, sem perder a potência e ferocidade, surgindo assim o Bull and Terrier. Ao chegar nos Estados Unidos, o Bull and Terrier sofreu algumas importantes modificações pelos americanos, fixando suas principais características e formando-se assim a raça Pit Bull.

Em 1898 A United Kennel Club reconheceu o Pit Bull como raça e posteriormente a American Dog Breeeders Association. No Brasil a CBKC também o reconheceu como raça e cada vez mais tem aumentado o número de criadores.

No que diz respeito a rinhas, nunca houve na história da cinofilia uma raça como American Pit Bull Terrier, pois ela reina absoluta diante de todos os cães que já foram usados em todos os tempos. No meio Pit Bull, o termo “gameness” significa determinação, vontade ou obstinação em brigar, característica considerada mais importante do que a própria habilidade de lutar, sendo ela o que muitas vezes decide um combate.

Apesar de apresentar uma natural agressividade com outros cães, tem-se buscado a todo o custo nos tempos atuais desencorajar-se o combate de cães Pit Bulls e procura-se cada vez mais se introduzir atividades de lazer saudáveis, tais como as chamadas atividades esportivas ou jogos olímpicos, dentre eles podemos destacar as provas de corrida, saltos de altura e distância, natação, provas de puxar pessoas em patins ou mesmo provas de puxar carros.

Cabe aqui um importante esclarecimento sobre a raça Pit Bull, muito massacrada pela imprensa sensacionalista. Já tivemos no passado outras raças que já foram exploradas pela mídia, como o Doberman, o Fila-Brasileiro e o Rottweiler, por exemplo, e atualmente estas raças cederam lugar ao Pit Bull. Ninguém ignora que este tipo de notícia sempre aumenta a vendagem de revistas e jornais e é assunto que até promove alguns políticos.

Estatisticamente sabe-se, entretanto, que hoje existem no Brasil mais de 40.000 Pit Bulls e cerca de 60% dos ataques por cães ocorridos e registrados são de cães de raças não identificadas, ou seja, os sem-raça-definida ou mais conhecidos como vira-latas. Além disso, não podemos cair no erro de alguns países que estão promovendo restrições legais ou até a proibição da criação da raça Pit Bull, quando se sabe que os verdadeiros culpados são os proprietários, que com a desculpa de quererem animais ferozes, treinam indevidamente seus cães. Na verdade sempre o dono do animal responde judicialmente em caso de ataque e esta lei vale para todas as raças.

Como o Pit Bull naturalmente é bruto, muitas histórias surgiram em torno de sua agressividade. Sua origem para servir como um cão de combate leva à interpretação errônea de muitas pessoas que o Pit Bull seja um animal violento e assassino. Mas ao contrário do que se pensa ele é extremamente dócil, leal e gosta de agradar a todos, apresentando grande afinidade e amor com as crianças, portanto essa violência está inteiramente ligada à criação dada ao animal. O Pit Bull é um notável cão de companhia para toda a família, mas pelo fato de ter um poderoso físico e certa agressividade para com outros cães, pela sua própria origem, necessita de proprietários que o sociabilize cuidadosamente e treine obediência, para que não apresente vícios e desvios de comportamento.

Por ser muito amigável até com desconhecidos, o Pit Bull não é uma boa escolha para ser um cão de guarda, aliás, para esta raça é altamente indesejável o comportamento agressivo com humanos. Nota-se no Pit Bull um grande prazer de trabalhar e se exercitar, seja para cumprir simples tarefas como até trabalhos mais complexos que exijam alto grau de inteligência como farejar drogas e participar de provas de adestramento.

Pelo fato desta sensação conflitante entre um cão extremamente carente, carinhoso e cheio de entusiasmo, com um aspecto de cão forte e bruto, o Pit Bull faz com que todas as pessoas que se aproximem dele fiquem completamente apaixonadas. Assim como os fanáticos por motos, por exemplo, talvez algum dia você se depare com um aficcionado pela raça Pit Bull. Verá então que é um sentimento contagiante e que tem razão de existir, pois o Pit Bull é um cão magnífico.

Não discrimine a raça Pit Bull, coloque-a em seu verdadeiro lugar. Caso algum dia queira adquirir um cão desta raça, converse com seu veterinário de confiança e procure criadores idôneos e responsáveis para que obtenha cães de boa procedência.

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese