Alimentação correta dos animais de estimação

0 Comments

Para manter a boa saúde do bichano, não confunda a alimentação humana com a dos animais de estimação. Portanto, cuidado na hora de agradá-los com guloseimas e ao tentar inovar seu menu.

Muitas pessoas gostam de oferecer pequenos mimos alimentares aos pets. O problema é o que está por trás dessa boa intenção. A maioria dos donos não sabe que, na verdade, está prejudicando a saúde dos caninos ou felinos. Isso acontece porque as necessidades nutricionais dos bichos, principalmente os que estão em fase de crescimento e amamentação, são diferentes das dos humanos. Um bom exemplo é a capacidade de digestão de carboidratos que esses animais praticamente não têm. É por essa razão que o pão, produto repleto dessa substância, está inteiramente proibido.

Outra recomendação que deve ser levada a sério é não trocar a ração por nenhum outro alimento. Tudo o que for oferecido além dessa refeição é excedente e não necessário. A ração foi desenvolvida para contemplar tudo de que o animal precisa para manter-se saudável.

Porém é difícil resistir à cara de pidão dos pets. Se você for o tipo de dono que se deixa levar por essa manha, atenção! Não é recomendado, mas também não é proibido usar petiscos para agradá-los. No entanto, o ideal é utilizar esses ‘mimos’ para ensiná-los, presenteando-os quando realizarem algo correto. Isso também é considerado uma forma de adestramento.

O mais importante é acertar na escolha da guloseima e, principalmente, na quantidade. O gosto varia dependendo da raça, do porte e também da espécie. Já o cuidado com a quantidade é para evitar o excesso de peso.

Cardápio indicado

Não fique pensando que qualquer alimento está liberado para você presentear e deixar seu bicho feliz. As opções são restritas, no caso frutas, verduras e alguns petiscos industrializados. Uma alternativa comum são as hortaliças como o tomate, a cenoura e o brócolis. Quanto às frutas, algumas que realmente aguçam o apetite dos caninos são pera, maçã, mamão, uva e melancia. Agora, se a escolha forem os snacks próprios para a espécie, opte pelas versões indicadas para evitar problemas intestinais e de alergia.

A escolha de mimos para os gatos é ainda mais restritiva. Por possuírem aparelho digestório sensível, eles não são adeptos dos alimentos “caseiros” e preferem os industrializados. Dessa forma, como necessitam de proteínas e gordura para manterem-se saudáveis, o cardápio deve ter obrigatoriamente a ração, fonte dessas substâncias.

O perigo do exagero

Se a escolha do cardápio não for feliz, ou a quantidade for exagerada, os bichanos podem ser acometidos por problemas que vão além da obesidade. São frequentes os casos de animais com intoxicação alimentar nas clínicas. Eles ocorrem pela ingestão de substâncias proibidas. Entre as mais comuns estão queijo, presunto, pão e batata.

E os problemas não acabam por aí. Outras ocorrências são a diarreia, a gastrite, a alergia, a hiperatividade, os tremores, os vômitos e, em situações extremas, até convulsões. Tudo isso por descuido e desinformação do dono que não sabe o risco que está colocando o animal. O que tem que ficar claro é que nenhum alimento substitui a ração. As guloseimas permitidas servem apenas para ensinar e os pets em algumas situações.

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese