5 erros cometidos ao alimentar peixes

0 Comments

A alimentação dos peixes é um assunto que pode levantar muitas dúvidas, principalmente quando há várias espécies que habitam o mesmo aquário. Uma alimentação excessiva ou errada pode, inclusive, prejudicar a qualidade da água, fator prioritariamente responsável pelas doenças mais comuns em aquários.

Deve-se lembrar de que, na natureza, os peixes, em água doce ou salgada, têm à sua disposição uma vasta gama de tipos de alimentos que correspondem à satisfação da maioria de suas necessidades nutricionais. No entanto, peixes de aquário, que já foram submetidos à domesticação, acostumaram-se a uma dieta ainda mais específica. Por isso, a melhor maneira de fornecer o alimento adequado para eles continua sendo as rações encontradas em pet shops, que foram elaboradas para melhor satisfazer as necessidades de peixes de aquário.

Erros mais comuns na alimentação de peixes

1. Quantidade errada de ração para os peixes

Verifique a quantidade certa de ração para cada tipo de peixe

A alimentação dos peixes deve respeitar a quantidade indicada na embalagem ou recomendada por um veterinário. Muitas vezes, os donos de peixes acabam exagerando na quantidade de comida que disponibilizam em aquários.

Com medo de que alguns peixes mais tímidos não tenham acesso ao alimento, já que outros nadadores possam ser mais eficientes na hora de comer, os donos preocupados acabam por superalimentá-los, colocando comida demais na água do aquário.

Essa atitude não garante que os peixinhos mais lentos vão se alimentar, apenas garante que a qualidade da água vá ficar comprometida. Se estiver inseguro a respeito da quantidade, lembre-se de notar o tempo que leva para os peixes consumirem todo o alimento: ele não deve passar de 5 minutos. Lembre-se que qualquer alimento que não for consumido se decompõe e a deterioração leva a água a ficar turva, contaminada, com um pH impróprio, além de permitir o crescimento de algas e altos níveis de amônia. Além disso, deixar a comida por mais tempo que o necessário, faz com que ela perca as qualidades nutritivas, como a vitamina C, que se dissipa na água.

Para que todos os peixinhos possam se alimentar, o ideal é servir pequenas porções três vezes ao dia. Dessa forma, os mais afoitos se alimentam primeiro e os mais tímidos não passam fome.

2. Não ter uma rotina de alimentação do peixe

Peixes devem ser alimentados de acordo com uma rotina.

Há quem diga que, como na natureza peixes comem a qualquer horário, não é necessário que se estabeleça um momento em que se costuma alimentá-los. Isso não é verdade.

Não estabelecer horários pode levar a um esquecimento de alimentá-los ou mesmo à superalimentação, principalmente se mais de uma pessoa for responsável por essa função.

Assim como os demais animais de estimação precisam de uma rotina de alimentação e cuidados, os peixes também precisam. O horário de alimentação influencia, inclusive, na rotina de limpeza do aquário. Manter uma rotina é ainda mais crucial quando se lida com várias espécies em um ambiente, e cada uma tem um hábito alimentar diferente. Por isso, seja disciplinado e respeite os horários.

3. Não conhecer as necessidades e os hábitos alimentares do seu peixe

Espécies diferentes de peixes devem ter cardápios variados.

As rações para peixes são bastante completas; no entanto, há rações para peixes herbívoros, carnívoros, onívoros e peixes de fundo, que só se alimentam de substâncias que afundem. Não conhecer os hábitos e as necessidades dos peixes em seu aquário ou não respeitá-las, fornecendo apenas um tipo de alimentação quando existem várias espécies, é muito prejudicial.

Além de peixinhos que só se alimentam de comidas que afundam, os herbívoros e os carnívoros, há ainda peixes que se alimentam exclusivamente de matéria viva, como o Peixe Vidro ou o Discus. Nesse caso, não vai adiantar fornecer apenas ração, mesmo que escolha de vários tipos.

Uma boa maneira de garantir uma alimentação correta para todos os peixes do aquário é desenvolver um cardápio bem variado, com mais de um tipo de ração. Principalmente se for o caso de mais de uma espécie com hábitos diferentes dentro do mesmo aquário. Dessa forma, é mais fácil se adequar à necessidade de cada animal.

Para saber os hábitos e as necessidades de cada espécie e como fornecer a alimentação adequada, de maneira a não cometer erros crassos que ponham em xeque a saúde dos habitantes do aquário, o ideal é consultar um veterinário especializado.

4. Não testar a qualidade da água do aquário regularmente

A qualidade da água afeta diretamente a alimentação dos peixes

Como dito anteriormente, a má qualidade da água é uma das grandes vilãs quando o assunto é doença em aquário.

A grande maioria dessas doenças deixa os peixes inapetentes, e cada vez mais fracos, mas a inapetência e a impossibilidade de se alimentar não são as únicas consequências que a qualidade da água pode ter na alimentação. Se a água não estiver com o pH adequado, limpa e com a temperatura correta, a composição dos alimentos pode mudar, tornando-se inadequada mesmo que o peixinho tenha fome e se alimente.

Testar a água de tempos em tempos é um fator vital, pois os restos de resíduos alimentares degradam sua qualidade. Se os níveis de amônia e nitrato estiverem desequilibrados, o alimento colocado no aquário perderá qualidades nutricionais e poderão até ser contaminados.

5. Ração para peixes de má qualidade, vencida ou mal armazenada

A ração dos peixes deve ser armazenada de forma correta

O ideal é sempre comprar rações de marcas conhecidas e confiáveis. Muitas rações mais baratas podem utilizar elementos vencidos ou prejudiciais na sua composição, como o enxofre e o chumbo, que podem ser fatais.

As rações devem ser armazenadas em locais frescos, secos e sem luz direta, caso contrário, há risco de contaminação. Algumas pessoas acreditam que a preservação de comida para peixes não requer tanto cuidado, afinal, serão colocadas dentro da água, então não há razão para mantê-las secas. O mau armazenamento pode levar à contaminação por fungos e bactérias, que podem devastar um aquário e dizimar seus habitantes. É muito importante garantir a integridade desse alimento.

Um aquário saudável

A alimentação é parte essencial para a composição de um aquário saudável, com peixinhos sadios e que tragam muita beleza ao lar. Peixes talvez sejam os pets que representam menor tentação para os donos quando o assunto são snacks fora de hora, mas isso não quer dizer que você não deva dar um petisquinho de vez em quando. Todo mundo, ocasionalmente, merece um tratamento especial. Consulte um veterinário sobre as possibilidades de snacks para peixes, e, se tiver crianças em casa, peça a ajuda delas na hora de alimentá-los, além de ensinar responsabilidade e cuidado aos mini-humanos, você alimenta seus peixinhos!

Deixe uma resposta

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese