Assine nossa Newsletter


As aranhas podem ser venenosas e representar um verdadeiro perigo para a saúde, principalmente as pretas e as marrons, que normalmente são as mais perigosas.

99665da67b69ddcf750f77652888f546-315_210

O que se deve fazer, caso se seja picado por uma aranha, consiste em:

  1. Lavar o local da picada com água e sabão;
  2. Elevar o membro onde está a picada, como mostra a imagem 1; Continue lendo

Talvez você já tenha notado que enquanto seu cachorro “faz o nº2” ele fica olhando para você.

Se este é o seu caso, com certeza você já se perguntou o motivo e, acredite, não tem nada a ver com timidez.

É normal que se pense que seu cão está te olhando com vergonha, afinal, para nós é algo embaraçoso de se fazer ali em público, com alguém olhando ainda por cima. Mas não pense que ele está te olhando querendo dizer: “Ei, um pouco de privacidade por favor?”. Olhar para você enquanto defeca quer dizer algo muito mais interessante do que isso.

Enquanto estão ali defecando, os animais sabem, por instinto, que estão vulneráveis na natureza, ou seja, não estão numa posição adequada caso necessitem se defender ou fugir de algum perigo.

Continue lendo

A metodologia é muito parecida com forma que as mães ensinam os seus filhos a usarem o penico ou vaso sanitário.

Como as crianças (humanas) aprendem?

Você já pensou quanto tempo leva para uma criança aprender a fazer xixi e cocô no penico ou vaso sanitário? Como é este processo?
Segundo alguns artigos, o normal é que uma criança aprenda até os 2 anos de vida. Mas, é comum se estender até os 4 anos.

A maioria das pessoas usa a seguinte abordagem:

  • No começo a criança fica de fralda para não sujar a casa inteira;
  • Nos horários mais prováveis, ela é levada ao penico. Se fizer xixi ou cocô, é muito elogiada. Se não fizer, é levada de novo mais tarde. Horários mais prováveis: de manhã, após as sonecas, após as refeições,…
  • E se errar? Alguém já viu um pai esfregando o nariz da criança nas necessidades? (Eu hein… de quem foi essa idéia?) Se errar, limpe!

Fácil, né?

Continue lendo

Esta matéria é um alerta aos donos, não se trata de um possível diagnóstico ou menos ainda um roteiro para auto-medicação.

Caso você perceba um forte e desagradável cheiro em seu cão mesmo após os banhos, ou perceba que ele começou a esfregar o bumbum no chão com mais frequência ou está apresentando dificuldade para defecar é possível que ele esteja com a glândula anal, ou saco anal, inflamada ou infeccionada.

Muitas pessoas não sabem, mas os cães possuem uma bolsa que é conhecida como glândula anal ou saco anal.

Ali nessa glândula há uma substância de cheiro bem forte, até desagradável, de consistência grossa ou leitosa, levemente oleosa.

A sua função é deixar pelo cheiro sua marca ou identificação, podendo servir para demarcar território ou até mesmo se apresentar como identificação.

Continue lendo

Também conhecida como Tosse dos Canis, e tecnicamente como Traqueobronquite Infecciosa Canina, a gripe que acomete os cães pode ocorrer em todas as estações do ano e seu contagio é rápido. Por isso, a prevenção é importante para garantir a saúde do seu melhor amigo.

“Os sintomas normalmente começam com uma tosse, geralmente seca, forte e persistente, que pode ser agravada após algum esforço físico, causando dificuldades respiratórias e ânsia de vômito. Muitos proprietários relatam que o animal parece estar engasgado. Outros indícios podem ser febre, perda de apetite e apatia. Ao notar esses sinais, o recomendável é levar o cãozinho ao veterinário”, explica Fabiana Avelar, Gerente de Produtos da Zoetis.

A gripe canina acomete desde filhotes até cães idosos, com contágio em qualquer época do ano, pelo ar ou por meio do contato direto com outros cães e em lugares onde há muitos animais, como parques, pet shop, hotéis e até num simples passeio na rua.

A prevenção da gripe canina é semelhante aos cuidados tomados para evitar a gripe humana. É preciso deixar o cão longe do frio, mantê-lo em local coberto e sem correntes de vento, acomodá-lo em camas, casas, oferecer mantas e vaciná-lo. Continue lendo

É inteiramente possível que ninguém tema mais as chuvas do que os cães.

De repente, o calor opressivo traz trovões retumbantes, quedas de raios e chuva batendo na vidraça. Todo aquele barulho deixa os cachorros malucos.

E quando há festas e seus muitos fogos? Terror.

Segundo estimativas, pelo menos 40% dos cães vivenciam ansiedade provocada pelo ruído, mais pronunciada durante o verão. Veterinários contam histórias de cães que se abrigam em esconderijos tão apertados que ficam entalados, que roem maçanetas de porta, que se jogam contra janelas ou correm em meio ao trânsito – na tentativa desesperada de fugir aos choques inexplicáveis de barulho e luz faiscante.

Ernie, um Braco Alemão de pelo duro, ficava tão apavorado com as trovoadas que pulava as cercas da fazenda onde mora em Maryland e corria quilômetros em linha reta.

“É muito sério. É um verdadeiro distúrbio de pânico com uma resposta de fuga completa”, afirma a Dra. Melissa Bain, professora adjunta de comportamento animal da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia, campus de Davis. Continue lendo

Veterinária ensina como evitar que cães, gatos, pássaros, peixes e outros animais sofram com as baixas temperaturas

Muitas pessoas acham que os animais que possuem pelos ou penas como os cães, gatos, papagaios, periquitos, por exemplo, não passam frio no inverno. No entanto, todas as espécies de animais, incluindo peixes, répteis e anfíbios necessitam de cuidados especiais nesta época do ano para que não sofram e nem fiquem doentes com as baixas temperaturas.

Animais ficam gripados?

De acordo com a veterinária Karla Pedroso, do Centro Veterinário da Pet Center Marginal, os pets podem contrair doenças respiratórias, assim como nós. “Embora eles possam ficar gripados em qualquer época do ano, quando as temperaturas caem, a incidência aumenta. Continue lendo

Muitos são os benefícios que os animais de estimação podem proporcionar ao homem. Pesquisas e estudos demonstram que em todo o mundo a convivência entre humanos e animais de estimação traz tranqüilidade e bem-estar a seus donos.

Especialistas de várias áreas são unânimes em admitir que quando cães são levados com freqüência a hospitais, creches e asilos, especialmente para idosos e crianças, eles trazem leveza ao ambiente, ajuda os pacientes a suportar melhor o tratamento, a rotina da internação e até na recuperação. Para quem perdeu a capacidade de se locomover, por acidente ou pela idade avançada, estar ao lado de um cãozinho bagunceiro e brincalhão proporciona momentos comoventes de descontração. Continue lendo

Há as pessoas que gostam e há as que se sentem incomodadas com o período mais frio do ano. O mesmo acontece com os cachorros, já que algumas raças estão mais adaptadas ao inverno que outras (Husky Siberiano, São Bernardo, etc). E assim como ocorre com os seres humanos, os pets também ficam mais vulneráveis a algumas doenças.

De acordo com a médica veterinária Drª Ana Flávia Ferreira, o período outono/inverno exige alguns cuidados para garantir a saúde dos animais de estimação. “A primeira medida é impedir que os pets fiquem expostos ao frio, o que evitará o aparecimento de doenças. A alimentação e a higienização também pedem atenção especial”, alerta. Continue lendo

A endocrinologia é uma especialização da ciência que estuda as doenças hormonais sediadas em diversas glândulas, quer com relação ao excesso da produção de hormônio, quer na sua deficiência.

O sistema endócrino é aquele que abrange as glândulas endócrinas, isto é, aquelas glândulas que secretam diretamente na corrente sanguínea.
Nos últimos dez anos a endocrinologia evoluiu muito à custa de uma melhor especialização dos médicos veterinários e de testes diagnósticos mais apurados disponíveis nos laboratórios.

A diabetes mellitus é um tipo de enfermidade do sistema endócrino que se caracteriza pela elevação do nível de glicose do sangue. Continue lendo